:: CAMPEONATO ::

Centenas de atletas lotam Teatro Zulmira Canavarros na abertura da Taça das Favelas 2023

Centenas de adolescentes, pais e lideranças das favelas de Mato Grosso participaram da cerimônia da abertura oficial da Taça das Favelas 2023, no Teatro Zulmira Canavarros, na noite de terça-feira (17/10), em Cuiabá.

A competição já começa com as pessoas das favelas ocupando espaços de poder como o próprio palco do lançamento do evento.

“Isso é maravilhoso, né? Porque nós estamos dando grande visibilidade pra esses territórios, que muitas das vezes só passam no noticiário notícias não muito boas, como a violência e tudo mais. A Taça das Favelas vem pra mostrar o outro lado, que nesses territórios têm muita potência, muita gente sonhadora, batalhadora. Essa é a importância desse projeto”, destacou o presidente da Cufa/MT, Anderson Zanovello.

A presidente da Associação de Desenvolvimento das Favelas de Cuiabá, Débora Silva, também destaca que a competição é mais do que sobre ganhar ou perder, mas o fortalecimento das favelas.

“O líder da favela é fortalecido, é o garoto que vai viajar para fora pela primeira vez também. São muitos os benefícios além do campo. Vamos focar em fortalecer o projeto porque todo mundo se fortalece junto”.

Embaixadora da Taça das Favelas de Mato Grosso, Melissa Arruda, contou como o esporte mudou a vida dela e como a Taça das Favelas 2023 pode também afetar positivamente o futuro de muitos jovens.

“Eu sou ex-atleta de vôlei de quadra e de praia. Fui atleta de alto rendimento e também tive a oportunidade de representar a nossa cidade na Liga Nacional. Consegui aproveitar tudo de bom que o esporte pode trazer para a minha vida. Ele ajudou a construir o meu caráter, a minha educação. Espero que vocês possam e consigam aproveitar tudo de bom que o esporte pode trazer para vocês”, disse aos competidores.

O esporte também fez toda diferença na trajetória vitoriosa do secretário-adjunto de Esportes e Lazer, David Moura. Ex-judoca da seleção brasileira, foi medalha de ouro nos Jogos Pan Americanos em 2015 e destacou a importância do esporte em sua trajetória.

David contou que aceitou o desafio de assumir a secretaria-adjunta de Esportes para fazer a diferença e que projetos como a Taça das Favelas têm apoio do governador Mauro Mendes, da primeira-dama Virginia Mendes e do secretário Jefferson.

“Podem contar conosco para continuar a impactar a sociedade de forma positiva, como vocês estão fazendo. Esse projeto é maravilhoso. Ano passado eu falei isso e hoje é a prova de tudo que falei foi verdade. Nós temos a liberdade de apoiar projetos como esse, e pode contar com o Governo do Estado de Mato Grosso para que esse projeto não só permaneça, mais continue impactando a vida desses jovens. O esporte transforma vidas e a gente precisa dar a oportunidade para que esses jovens possam treinar e representar nosso Mato Grosso lá fora”.

Assessor técnico da prefeitura de Várzea Grande, Carlos Henrique, foi a cerimônia representando o prefeito Kalil Baracat agradeceu ao presidente da Cufa/MT pela oportunidade de participar da edição 2023 da Taça das Favelas.

“A gente sabe da importância desse evento esportivo, não só interação, mas como a colega aqui falou, são oportunidades. Têm muitas crianças que a gente sabe que muitas vezes não saem dentro da própria cidade, e aqui vem aquela oportunidade também de ver outras realidades, outros locais. Parabéns Anderson por sua força e dedicação, de estar sempre em cima, sempre correndo atrás do melhor, que é para essa criançada toda, para esse pessoal todo que está aqui, que são apaixonados por esportes. A gente sabe que o esporte transforma e vai fazer só bem a dedicação deles”.

O representante da Assembleia Social e do Teatro Zulmira Canavarros, Rafael Taques, disse que a casa estava honrada em receber os competidores de um evento tão importante para o Estado.

“É uma alegria imensa recebê-los. Este teatro está de portas abertas para vocês sempre. Esse espaço aqui é para vocês, de vocês”.

Thiago Ferreira, da Vortion Comunicação, comentou que a parceria com a Cufa/MT começou na Expofavela e se estendeu para esta edição da Taça das Favelas. Ele ainda parabenizou pelo trabalho de associar o esporte a uma oportunidade de mudança de vida.

“Quero parabenizar a iniciativa de trazer a abertura para esse espaço, porque a população, em geral, precisa estar mais habituada a esse tipo de espaço. Quando a gente traz uma comunidade para um teatro desse tamanho e dessa magnitude, a gente começa a ocupar espaços que são, na maioria do tempo, negados às populações mais carentes. Espero que todos aproveitem bem a taça, é uma oportunidade muito grande. O trabalho que a Cufa faz é excepcional no Brasil inteiro”.

Já Milena Francisca Vilar, coordenadora de comunicação do 360 News, disse que acredita no poder transformador da Taça das Favelas e uma oportunidade para quem deseja sair da periferia, por isso, recomendou que os participantes abracem o projeto porque vale à pena.

“A gente que conhece o Anderson e a Débora nos bastidores, a gente sabe o quanto isso é difícil e o quanto é importante para a gente estar com esse teatro cheio de pessoas para participar desse campeonato. A gente acredita que vai ser um sucesso e que teremos seleções muito fortes para representar o nosso estado no nacional”.

Etapas das competições – Anderson Zanovello explicou que a Taça das Favelas não é uma competição de times, mas de seleções eleitas pelas peneiras realizadas nas favelas pela liderança. Quando os jogos partem para a fase estadual não vai apenas os atletas da seleção campeã, mas aqueles que se destacaram nas partidas podem também participar da peneira estadual.

“Depois disso é que nós vamos montar a seleção do estado de Mato Grosso. Então, se de repente a favela perder na primeira rodada, ela ainda pode ter atleta aí nos representando na etapa nacional de São Paulo.

Neste ano, a fase nacional será de 07 a 17 de dezembro, em São Paulo (SP).

Em 2022, a seleção de Mato Grosso não conseguiu se classificar, contudo, neste ano Anderson diz estar confiante, pois as próprias favelas também já estão mais preparadas, por isso o desempenho na fase nacional tende a ser melhor.

“Tivemos entre 311 favelas inscritas, nas peneiras que aconteceram no último fim de semana e teve a participação de 1.560 atletas em todas as 24 peneiras. Em todo o campeonato, nós realizamos em uma estrutura muito bacana, onde os atletas já têm a oportunidade de jogar no campeonato como se fosse uma competição profissional. Nós sempre buscamos parceria com os clubes e na etapa nacional, por exemplo, todos os clubes do país estão ali observando. Nós tivemos atletas contratados no ano passado, um deles estava aqui ao meu lado agora, e já assinou contrato com o clube do Sergipe. As oportunidades do atleta realizar o sonho de ser um jogador profissional são muito maiores”.

Realização – A Taça das Favelas é uma realização da Cufa-MT, Secretaria de Estado de Cultura e Lazer (Secel/MT) e Associação de Desenvolvimento Social das Favelas e conta com apoio da Tubarão Sports, Água Mineral Lebrinha, Lide Mato Grosso, Prefeitura de Várzea Grande, Vórtion Comunicações. O evento tem a parceria com Assembleia Social, o Teatro Zulmira Canavarros, BS Comunicação, Em Cena Escola de Artes, 9 Atos, além da promoção da TV Centro América.

A Cufa é uma organização brasileira reconhecida internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural. Existe há 20 anos. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas, principalmente negros, que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente a sua vontade de viver.

GALERIA DE FOTOS
GOSTOU? COMPARTILHE
WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
MAIS NOTÍCIAS
Com presença confirmada de Celso Athayde, a Cufa Global dá início a conferências em mais de 40 países, além do Brasil , com foco nas prévias para o G20 no Brasil
O evento também marcou a retomada dos trabalhos da Cufa Colíder.
Anderson Zanovello, coordenador geral da Taça das Favelas de Mato Grosso, destacou também a importância da reativação da Cufa Colíder.
O seminário deve atrair ainda lideranças da Cufa/MT em Alta Floresta, Sorriso, Sinop, Peixoto de Azevedo e Marcelândia, que são de interesse para a expansão da Taça das Favelas em Mato Grosso
Taça das Favelas 2023 terminou no sábado (13) no Estádio do Canindé, em São Paulo
Com presença confirmada de Celso Athayde, a Cufa Global dá início a conferências em mais de 40 países, além do Brasil , com foco nas prévias para o G20 no Brasil
O evento também marcou a retomada dos trabalhos da Cufa Colíder.
Anderson Zanovello, coordenador geral da Taça das Favelas de Mato Grosso, destacou também a importância da reativação da Cufa Colíder.
O seminário deve atrair ainda lideranças da Cufa/MT em Alta Floresta, Sorriso, Sinop, Peixoto de Azevedo e Marcelândia, que são de interesse para a expansão da Taça das Favelas em Mato Grosso
Taça das Favelas 2023 terminou no sábado (13) no Estádio do Canindé, em São Paulo
Secretário Jefferson Neves recepcionou os atletas na última semana em um dos auditórios na Arena Pantanal